A importância do engajamento de fãs.

Qualquer fã dos esportes pode dizer que sua capacidade de envolvimento evoluiu bastante nos últimos anos.

Agora, mais e mais entidades estão se desenvolvendo e trazendo um viés mais inovador em relação a eles, devido ao aumento da demanda por inclusão e interação.

A inovação tecnológica deu sua contribuição para facilitar o engajamento de fãs, a facilidade de se encontrar quase tudo na internet, vídeos, sites, blogs e mais recentemente os NTFs colecionáveis digitais baseados em blockchain que estão em alta no momento.

 

Para os fãs, é muito importante ser capaz de acompanhar, interagir, envolver-se e manter-se atualizado com todas as coisas relacionadas aos times que apoiam – não apenas em campo, mas também fora. 

 

Um fã considerado “normal” irá seguir seu clube querido em suas plataformas de mídia social – Facebook, Twitter e Instagram. Possivelmente, vai participar ou até criar grupos no Facebook para se conectar com outros. 

Tudo isso é muito bom, mas ainda é unilateral. Seria incrível e ainda mais encorajador para os fãs se os clubes e jogadores começassem a interagir e se envolver. E parece que isso está começando a acontecer.

Claro, originalmente os clubes criaram páginas de mídia social como uma forma de se promover e ganhar o máximo de seguidores possível. Embora isso seja crucial para o engajamento de fãs, os clubes estão introduzindo um aspecto mais poderoso do marketing em seu modelo de negócios – uma maior interação e envolvimento por meio de colecionáveis digitais (NFTs).

 

Descobrimos até agora que os fãs recebem o reconhecimento dos clubes, mas o que os clubes ganham com o contato? Como mencionado acima, no passado os clubes tinham pouca interação com os torcedores. Então, por que se tornou importante para eles melhorar o envolvimento dos fãs e permanecer conectados?

 

Bem, atualmente, existem inúmeros artigos publicados sobre a Geração Z e sua menor lealdade a apenas uma equipe. A mídia social trouxe um novo tipo de exposição do jogador. Os torcedores podem interagir diretamente com os jogadores para os quais torcem e, à medida que o jogador passa para outras equipes, o mesmo pode acontecer com os torcedores. Um grande exemplo disso foi a transferência de Lionel Messi do Barcelona para o Paris Saint Germain, ou de Cristiano Ronaldo do Real Madrid para a Juventus.

 

Além dos canais de mídia social do PSG explodindo com novos fãs, o primeiro jogo em casa do Barça nesta temporada exibiu o menor comparecimento à La Liga em 10 anos.

Certamente, esta é uma das piores coisas que podem acontecer a um clube. Com o baixo engajamento dos torcedores, vêm os lugares vagos nos estádios – o que pode significar perda de patrocinadores e anunciantes para o clube. É crucial que os clubes consigam encher os estádios e mantenham um alto engajamento, para garantir que os fãs continuem apoiando o time e participando dos eventos. Mais ainda, a participação dos fãs traz mais lucro com a venda de mercadorias e ingressos para a temporada.

 

Com a pandemia e a impossibilidade de se realizar jogos com público presente, a situação para os clubes de futebol ficou ainda mais complicada. Portanto, os clubes estão investindo muito tempo e esforço não apenas nas redes sociais, mas também na busca de tecnologias inovadoras que os ajudem a melhorar a relação com os fãs e suas experiências.

 

Os colecionáveis digitais oferecem uma oportunidade de desenvolver novas frentes nesse sentido. Uma nova forma de engajamento com fãs através de experiências incríveis que, além de tudo, criam receitas adicionais.

Você acha que os NFTs podem ser uma alternativa para que os clubes de futebol consigam um maior engajamento dos fãs? Gostaríamos de saber a sua opinião, coloque o seu comentário abaixo.

SOBRE A NÓS 

 

A Block4 é uma fantech que cria e gerencia plataformas de colecionáveis digitais (os TiBS), que aproximam os fãs de suas instituições esportivas, artistas, influenciadores, criadores de conteúdo e comunidades favoritos, através de experiências altamente engajadoras e que misturam o físico e o digital (phydital). Com diversos parceiros nas mais diferentes verticais, a Block4 usa a tecnologia para revolucionar a relação do fã com o seu objeto de adoração, trazendo a blockchain e os NFTs para dentro da indústria do entretenimento.

Crédito das imagens usadas neste post Unsplash